Uma escapada a Brașov

Olhamos para o mapa e apontamos para o centro da Roménia. Deixamos as vastas planícies da Valáquia e rumamos a norte, em direcção aos Cárpatos. A grande barreira natural que divide a Roménia em duas, separa a Transilvânia do Sul do país. E logo após a sinuosa estrada, no sopé da montanha, eis que nos surge a cidade de Brașov.

Para quem visita a Roménia, a pouco mais de 170 quilómetros de Bucareste encontra uma das mais bonitas e pitorescas localidades da Transilvânia. Antiga cidade de fronteira, Brașov é hoje a sétima maior urbe do país. Os registos da existência desta localidade datam do século XII. Fruto da sua localização privilegiada, na rota do comércio entre Otomanos e Europeus, a cidade cresceu e tornou-se um importante centro regional. A paz trouxe o florescimento do comércio e os seus edifícios transpareciam a riqueza dos seus habitantes. Contudo, a Brașov romena que hoje conhecemos apenas ‘nasce’ em 1918, quando os deputados reunidos em Alba Iulia decidem a união da Transilvânia com o Reino da Roménia. Até então, e por ter estado sob a coroa de Budapeste, e mais tarde de Viena, a presença de alemães e húngaros sempre foi notória. O regime de Nicolae Ceaușescu, política e economicamente alinhado com Moscovo, trouxe uma peculiar alteração ao nome da cidade: durante dez anos, de 1950 a 1960, Brașov foi oficialmente designada por Orașul Stalin – Cidade de Estaline, em homenagem ao líder soviético.

Hoje, Brașov é uma cidade orgulhosa da sua história e das suas tradições. O bem preservado centro histórico, onde se destacam a praça principal e a Igreja Negra (Biserica Neagră), as fortificações que rodeiam a cidade (que nos dão vistas fantásticas para todo o seu casario), assim como as estâncias de esqui nas montanhas mais próximas, fazem desta uma das principais áreas turísticas do país. A sua centralidade, assim como os acessos rápidos ao Sul e ao Norte da Roménia, tornam Brașov um ponto facilmente acessível a qualquer visitante.

E já que o roteiro nos trouxe até aqui, porque não um pequeníssimo desvio de 30 quilómetros até à aldeia de Bran? O que tem esta aldeia de especial… é aqui que mora o Conde Drácula, mas isso é história para outro post!

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s