UMA NOITE TRÁGICA

Acordei por volta das 3 da manhã com o telemóvel a vibrar. Tocava baixinho. Uma, duas, três, quatro… Uma carrada de mensagens. Perguntei a mim mesmo, mas o que terá acontecido para tantos amigos me perguntarem se estou bem?! Minutos depois faço uma pesquisa rápida na net e deparo-me com um cenário dantesco.

Ao longo do dia as notícias foram chegando via televisão, facebook e SMS. Afinal, o concerto no Clube Colectiv, a pouco mais de um quilómetro aqui de casa, era de uma banda de um colega de trabalho. Os murais da rede social enchem-se de pedidos de ajuda, apelando às pessoas para doarem sangue, partilhando o estado dos dez colegas da Oracle que se encontravam no local ou, simplesmente, expressando o horror perante tal catástrofe.
Uma tragédia sem par em Bucareste e que pôs a Roménia nas bocas do mundo pelas piores razões.

Contudo, num país que proíbe um estrangeiro de doar sangue porque afinal não domina a língua romena, como é possível as autoridades autorizarem a abertura de uma discoteca numa antiga fábrica?! Um edifício velho, sem condições mínimas de segurança, sem saídas de emergência e, pasmem-se, onde apenas existia um extintor numa sala que albergava mais de 300 pessoas!

Espero sinceramente que o exemplo desta sexta-feira seja o ponto de partida para uma política de segurança mais activa e que todos os espaços de diversão do país sejam inspeccionados. Que isto seja feito para que se evite que mais 27 pessoas morram por incompetência das autoridades.

Anúncios

4 opiniões sobre “UMA NOITE TRÁGICA

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s