QUANDO A NATUREZA ESCREVE DIREITO POR LINHAS TORTAS

Os anos oitenta foram profícuos em grandes projectos de infra-estruturas na Roménia. Sob comando de Nicolae Ceaușescu, Bucareste deveria ficar ligada, por meio aquático, ao Danúbio e, deste, ao Mar Negro. Um plano gigantesco que a Revolução de 89 deixou para trás. E para trás ficou também uma ferida às portas da capital: um enorme reservatório de água que nunca serviu o propósito para o qual foi construído. O estado de degradação tornou o espaço num cenário de filmes de terror, mas com o passar do tempo a Mãe Natureza tratou de resolver uma das cicatrizes do antigo regime. Quem diria que Văcărești se pudesse transformar num parque natural? É isso que vamos hoje descobrir.

all rights to Eminescus

Estamos no Sul de Bucareste, já perto do fim do perímetro urbano da grande urbe. Ao longe, várias torres modernas de habitação dão um ar de Miami à capital romena. Essa longa estrada que nos leva para fora da cidade é ladeada, de um lado, pelo domesticado rio Dâmbovița e, do outro, por um enorme paredão que esconde um espaço que poucos se atrevem a visitar. O ar abandonado e selvagem desse paredão transporta-nos para um cenário de filmes de crime e suspense. Não é um dos cartões de visita da cidade e a sua fama é conhecida pelas piores razões. Subo as escadas que ligam a estrada ao topo do muro. Entro nessa área “proibida”, Văcărești.

Văcărești é o nome desta região de Bucareste, pequeno centro populacional satélite que acabou por ser integrado como bairro da capital. Aqui se fixaram, em tempos longínquos, várias famílias de Judeus vindas do Império Russo, e, era aqui também, que se encontrava o maior mosteiro do século XVIII do Sudeste europeu. Contudo, o Governo de Ceaușescu reservou para este pacato aglomerado um destino diferente. O bairro foi arrasado, reconstruído com os típicos blocos de apartamentos ao velho estilo soviético, em terrenos reclamados aos vários pântanos abundantes na área; o mosteiro foi destruído para dar lugar a novos edifícios para o Ministério da Justiça e para o Supremo Tribunal de Justiça; mas o projecto maior seria a construção de um maciço reservatório de água que permitiria à cidade ganhar um “pequeno” porto na sua ligação ao Danúbio e ao Mar Negro. Um enorme projecto hidrográfico que a Revolução de 1989 deixou cair. A juntar a isto, um erro de cálculo durante a construção do dique impossibilitou, permanentemente, que a enorme bacia de 183 hectares recebesse a quantidade de água prevista. A década de 90 chegou e nenhum dos projectos anteriores, à excepção dos blocos residenciais, se concretizou. O interior do grande reservatório de água ficou deixado ao abandono. A Natureza tratou de engolir aqui que os homens tentaram cimentar.

Mosteiro de Văcărești, 1722-1986

Durante quase 30 anos, aquele grande dique escondeu e protegeu Văcărești do interesse da grande maioria dos habitantes de Bucareste. Mas, em simultâneo, a Natureza refez nessas três décadas aquilo que Ceaușescu tentou moldar aos seus projectos megalómanos.

Com o passar dos anos, e com a tomada de consciência do potencial deste gigante adormecido, várias associações ambientalistas fizeram lobby junto das entidades oficiais para revitalizar a área. O esforço trouxe bons resultados. O Governo de Dacian Cioloș classificou, a 11 de Maio de 2016, Văcărești como uma área protegida. Um novo parque natural urbano, também conhecido por Delta de Bucareste, um dos maiores do género em toda a Europa.

A natureza está bastante activa por estas bandas: pequenos lagos interligados, naturalmente formados, criam um ecossistema que sustenta 90 espécies de aves, incluindo garças e patos selvagens. A vegetação é também variada, mudando ao longo dos vários micro-sistemas do parque, com pequenas árvores de fruto, choupos, salgueiros e chorões. Junto à água são comuns os nenúfares. Existem também registos doninhas, raposas e de lontras (o que ainda ninguém conseguiu explicar é como surgiram estes animais aqui!).

O Parque Natural de Văcărești é a primeira área protegida em ambiente urbano da Roménia, tendo roubado ao Parque Herăstrău o título de maior zona verde da capital. O parque é gerido pela Asociația Parcul Natural Văcărești, mas ainda se encontra numa fase embrionária de desenvolvimento.

Quem diria que um espaço abandonado se poderia transformar numa importante zona de protecção ambiental. Afinal, a Natureza também escreve direito por linhas tortas!

Estação de metro mais próxima: Mihai Bravu (Linhas M1/M3 – Vermelha e Amarela), 1,2 kms

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s